quinta-feira, outubro 29, 2009

Conto "Eu, robô"



A vida parece que está escrita, rabiscada e sem possibilidade para mudanças. Acordar todos os dias com céu nublado e não ter tempo de caminhar com as minhas pantufas azuis até a cozinha e esquentar um leite e depois adicionar chocolate, está me deixando roboticamente mecânica.
Posso explicar em algumas palavras ou em muitas. Bom, acredito que a vida de todo mundo é parecido exceto pelas fobias e neuroses que possuo.
Eu acordo, me troco pego a bolsa e vou para o serviço. Lá eu fico 8 horas da minha vida e quando chego em casa já passa das 7hrs da noite. Brinco com o gato vou fazer minha janta, aproveito para colocar no lugar as coisas que deixei espalhado pela casa. Quando vejo já é 22hrs. Arrumo a cama para deitar, pego o meu livro, que é sempre um romance onde tudo na vida do protagonista da certo - pelo menos no final, depois de ler umas 30 páginas, desligo o abajur e durmo.
Depois que dormir não tem o que lhe contar, mas o dia amanheceu e aconteceu as coisas exatamente igual. Só muda os livros que leio, as roupas que visto, a recepção do gato e a comida da janta. Qualquer robô bem programado conseguiria repetir a mesma atividade todos os dias por 60 anos. Ou ele enferrujaria - comecei a rir. 
Percebi que o humor também varia de dia para dia. Mas vamos lá, eu não sou bipolar ou sou? Será que um robô conseguiria ser bipolar ou ter TPM? Num futuro próximo, como diria no começo de algum dos filmes do X-men. Já não me recordo a sequência.
Não lembrar de acontecimentos como esquecer o simples fato "se tranquei ou não tranquei a porta" está tornando-se cotidiano. 
Quando dormimos apertamos o Stop, quando acordamos apertamos o play e rodamos na sequência do disco. As vezes podemos escolher qual cena queremos ver. Mas isso só acontece no sábado ou domingo. 
Acredito que meu humor pula de 8 para 80 em questão de segundos,  meus sistemas estão em conflito. Se fosse criada pelo Bill Gates já estaria fora de linha, fora da jogada - você só funciona quando quer. Substitua pelo 2050 - diria ele

Que a vida é assim, é fato. Mas quem disse que quero ser robotizada? Ou como diz aquele pirata bêbado "Vocês sempre vão se lembrar do dia em quase capturaram a Sarah Jackes -  a frase é mais ou menos assim.
Bem, Se você leu até agora... Eu Sarah te desejo uma ótima quinta, por que estou no Hawaii neste momento esperando as minhas altas ondas, enquanto aquele garçon chato foi buscar minha comida. Estou vivendo o mais puro deleite humano!




Até os meus próximos passos!
Postar um comentário

Folha.com - Ilustrada - Principal