quarta-feira, julho 01, 2009

O segredo de Sarah

Depois de almoçar, resolvo escutar uma música. No MP3 tenho algumas. Vou mudando até achar uma que realmente quero escutar. Entre a música New Divide do linkin Park e Is This Love do Whitesnake. Acabei escutando Is this Love.
Na repetição da música toca o telefone. Na outra linha está meu Pai. Um esquerdista que idolatra os livros e pensadores como Karl Marx. Ele me crítica todas as vezes que escolho por algo de "Massa". Desde livros á filmes. Mesmo numa ligação rápida tem uma pequena crítica, que na minha mente virou um furacão.
Volto para sofá e continuo a escutar "Is This Love". Só que agora minha mente trabalha, encima de odio e raiva. Lembro dos céus negros, dos relampagos em volta de mim no passado. A minha resposta mental para cada alfinetada no meu voodu.
"Você esqueceu de amar, de sorrir, de ver beleza a onde uma criança vê. Você se agarrou aos livros a sua inteligência, mas esqueceu de viver, ficou cego e matou aqueles que só queriam sorrir". Pensamento trágico - até de mais. Mas a raiva gera excessos.
A música continua... e tudo que eu ouvia era um coração negro que reluta em abraçar todas ídeias e tornar-se pronto para mudar de opinião. As batidas são fortes e ensurdecedoras que repete constantemente."Sarah nunca esqueça de olhar as coisas com os olhos de uma criança para sempre apreciar uma simples rosa".
A minha mente vaga até uns capítulos do Pequeno Príncipe e chego no personagem Atrônomo Turco e para na Serpente, que apesar dos seus enigmas ela respeito o que é puro. A música se encerra "Is this the love that I've been searching for?".
Aos poucos a raiva foi se esvairando. Sem dar tréguas, meu coração voltou a bater em um ritimo agradável. E percebi que eu, Sarah Albuquerque nunca desistiria de todas as formas de Amor.



Até os meus próximos passos!
Postar um comentário

Folha.com - Ilustrada - Principal